Parceiros
Diretoria.
Elite 00 de 45


Créditos
» Skin de Captain Knows Best criado por Neeve, obrigado pelo suporte e tutorais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foroactivo.
»
Últimos assuntos
» Testes de HTML
Dom Jan 31, 2016 6:01 am por Jeffrey V. Convenant

» Registro de Avatares Masculinos
Seg Jul 20, 2015 6:10 am por Damian Stone

» [RP - Missão para Alexia Devonshire] Everybody has a secret.
Sex Jul 10, 2015 12:58 am por Alexia Devonshire

» [FP] Gael Owens - Ugin o Dragão Espiritual
Sex Jul 10, 2015 12:45 am por Destiny Krushnic

» [TP] Just a Game
Sex Jul 10, 2015 12:17 am por Alexander H. Reinhardt

» Raças do RPG
Qua Jul 08, 2015 8:59 pm por Alexander H. Reinhardt

» Tópico Para Pedido de Missões
Ter Jul 07, 2015 11:13 pm por Elijah Anthony Donovan

» [FP] Elijah Anthony Donovan - Metatron
Ter Jul 07, 2015 10:04 pm por Alexander H. Reinhardt

» FP - Alexander Hans Reinhardt
Seg Jul 06, 2015 2:52 am por Destiny Krushnic


[RP - Missão para Helena B.] Yakuza

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[RP - Missão para Helena B.] Yakuza

Mensagem por Anya Johanne Wolf em Sab Jun 13, 2015 10:05 pm

Helena é enviada ao Japão, mas especificamente a Tokio para rastrear um carregamento de drogas da Yakuza que pretende ser embarcado em breve para os EUA. Seu objetivo é impedir que essa transação ocorra e apreender as drogas.

A ação se passa a noite, num cais e existe pelo menos oito membros da Yakuza cuidando para que a droga seja carregada. Os carregadores não são seus alvos, então não os atinja.

Os compradores devem chegar em 40 minutos, você precisa resolver a missão nesse tempo ou terá muitos mais bandidos com que lidar. Se falhar, será presa e levada ao líder da Yakuza, Han Akira



avatar
Clube do Inferno
Ver perfil do usuário
Mensagens :
65

Data de inscrição :
08/06/2015

Localização :
Estados Unidos

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP - Missão para Helena B.] Yakuza

Mensagem por Helena Bertinelli em Seg Jun 15, 2015 2:16 am


A morena havia recebido um arquivo da nova missão, Waller andava pedindo milagres para mesma, a raiva de Bertinelli era que a chefe da ARGUS não facilitava para a filha da máfia. Depois de receber o arquivo preparou uma reunião com os associados no Japão e programou a viagem.

Depois de ir para o aeroporto Helena estava com um mau humor dos diabos. Saiu de seu vôo de dezesseis horas, respirou bem fundo para não matar um. Pegou suas malas e equipamentos enquanto seguia para o hotel em que ficaria hospedada por dez dias. A missão seria dali sete dias, ela teria muito tempo para analisar o que faria.

A Yakuza havia causado problemas há alguns anos para o pai da justiceira, que agora tinha uma boa reputação no Oriente graças a enfrentar os membros que lhe causaram problemas. Se aproveitando desse antigo fato a mesma se encontrou com o filho de um dos membros da Yakuza de quem seu pai recebeu apoio, usaria dele para poder se aproximar do local e reconhecer o mesmo antes que acontecesse algo.

No segundo dia, após uma boa noite ao lado do jovem Kazama Hayamato, aproveitou para visitar os velhos amigos dos pais ali em Tokyo. Todos sabiam do que aquele maldito do Mandragora havia aprontado com a família dela, bem como sabiam que ela havia acabado com ele. A morena andava pelo cais onde em exatamente trinta e seis horas aconteceria a venda de um grande carregamento de drogas e sua missão pela SS começaria. Por tal atentou-se as entradas e saídas que ali tinham, precisaria delas com toda a certeza.

As horas voaram, logo chegou o momento em que precisaria se trocar. Enquanto colocava seu uniforme repassava o plano, ela teria 40 minutos para render oito capatazes do Han Akira, primo de Kazama, o mais jovem líder que a Yakuza ja teve em toda sua história. Quem olhasse para os primos Yakuzas iria ter a certeza que eram apenas dois modelos de passarela. Por isso a máfia japonesa andava tão bem, os rapazes encobriam os rastros usando de meios como a fama para fingir que nada aprontavam.

Se aproximou do galpão em que estava o carregamento de drogas, com extremo cuidado foi se movendo pelas sobras e finalmente chegou ao alvo. Sem muitas dificuldades derrubou os dois grandalhões sem o mínimo de cérebro, agora ela tinha trinta e dois minutos, seis inimigos e quinhentos quilos de ópio para exterminar. Respirou bem fundo e desceu para o subsolo da fabrica, seu tempo estava corrido e havia ali pessoas inocentes que ela não poderia machucar.

Com cuidado, a mulher usou a corda pela qual desceu e enforcou dois homens até eles perderem a consciência. Quatro alvos, vinte oito minutos, ela estava com um sinal que avisaria quando o tempo acabasse apitando em seu ponto a passagem de tempo, que seria no momento que Han e Kazama chegariam com os compradores. Olhou o contador e viu quatro homens imensos vindo na sua direção, com armas e atirando igual bestas.

Começou a desviar como podia dos tiros, agradecendo que os escravos que carregavam o navio estavam no andar de cima ajeitando a droga. Puxou a Colt 45 e atirou em dois dos homens, precisou de apenas quatro tiros para incapacita dois deles. O mais alto agora tinha um tiro no joelho e outro no tendão que impossibilitava de puxar o gatilho e o mais baixo estava com um tiro na mão e o outro na coluna, o que o aleijará. Os outros dois largaram as armas, que haviam descarregado acertando apenas um tiro na mulher que logo tratou de apertar um pedaço de pano no local.

Sorriu ao ve-los correndo na direção dela, com isso a mulher guardou a arma e puxou a besta. O primeiro homem foi facilmente derrotado, apenas foi necessário cravar duas flechas que o prenderam a parede enquanto ao outro precisou ser mais agressiva, cravou uma flecha no abdômen do rapaz e somente após chutar a mesma mais para dentro dos musculo, conseguiu deixa-lo desacorda-lo .Na troca do quarto minuto após derrubar os últimos dois capangas que precisava, viu que lhe restava apenas dez minutos para acabar com os quinhentos quilos de droga. Mordeu o lábio pensando no que faria, sem muitas escolhas a moça pegou as flechas explosivas e atirou nas correntes que erguiam o contêiner. Logo o mesmo foi parar na água e com isso completou a missão, embora faltasse apenas quatro minutos para ela estar encrencada. Ativou o dispositivo de voz e virou para os escravos que ali estavam.

-Boa Noite, senhores finjam que nada viram ok? falando em Hangul com os escravos coreanos.- Caso perguntem quem foi digam que vocês apenas viram um morcego e que ele deixou um recado: “ Ninguém mexe com Gotham.”

Disse e após ver a concordância de todos ali, sorri de forma doce. Ela iria ferrar o Wayne, mas Batman podia se lascar mais um pouquinho se tinha tempo pra ir em festas teria tempo para se resolver com Akira e companhia limitada. Saiu correndo do lugar para evitar que alguém a visse. Correu para o outro lado da cidade escondida nas sobras em um silencio que evitava que fosse encontrada por qualquer alma viva. Chegou ao hotel sem correr grandes riscos, trocou o curativo que havia feito na perna e também trocou de roupa, precisava estar apresentável para o próximo compromisso.

Correu para o lobby do hotel, ainda ajeitando o novo conjunto que vestia e deixando o curativo completamente coberto pela mesma. Acenou para o mordomo que havia vindo busca-la, o jovem Han pediu ajuda com o grupo de compradores russos visto que o mesmo não tinha fluência na língua e aquilo poderia gerar confusão. Andou tranquilamente até o galpão e sentiu uma pontada de tristeza ao ver a cara decepcionada daqueles com quem havia tido uma enorme amizade na infância.

O local estava inteiro e sem nenhuma pista de que ela havia feito aquilo, enquanto os rapazes xingavam e um dos escravos foi puxado e estava prestes a ser castigado quando passou o recado de que o autor daquela obra era da Mulher Morcego. Os japoneses ficaram levemente irritados e prometeram que iriam pegar quem havia feito aquilo, Hell pouco se importava ela sabia que nunca seria pega por eles.

Bertinelli passou os próximos três dias a missão vivendo junto com os rapazes da família e por vezes dormiu com Han ou Kazama, apenas para descobrir se eles descobriram algo sobre o ataque, mas nada mudou do dia da missão até o dia de sua partida. Quando ela partiu para o aeroporto e viu os capatazes e chefes de família lhe prestando uma reverencia ela teve vontade de rir, mas não o fez apenas por respeito. Entrou no avião e foi confortavelmente de volta para Gotham City.

avatar
Esquadrão Suicida
Ver perfil do usuário
Mensagens :
16

Poderes :
Criação/Manipulação de Campos de Força e Manipulação dos Quatro Elementos

Data de inscrição :
07/06/2015

Idade :
28

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP - Missão para Helena B.] Yakuza

Mensagem por Anya Johanne Wolf em Seg Jun 15, 2015 2:38 am

Missão Avaliada
28/30

Recompensa: Duas armas semi-automáticas.

Gostei bastante do texto e do modo que lidou com seu tempo e conseguiu completar a missão praticamente sem falhas e de modo quase que verossímil, nos fazendo crer que era possível tal ações. Achei crueldade com o Batman colocar o nome dele no fogo, mas bem...É a Helena, nenhuma novidade -q
avatar
Clube do Inferno
Ver perfil do usuário
Mensagens :
65

Data de inscrição :
08/06/2015

Localização :
Estados Unidos

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP - Missão para Helena B.] Yakuza

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum